Carreira

Inglês e currículos: dicas de uma neozelandesa

Construir um currículo não é uma tarefa difícil, mas requer atenção e objetividade. Esse assunto já foi tema de outro post aqui no Além do Mar.  Para entender que essa etapa não é um bicho-papão conversei com a professora de inglês Mikayla Dyer sobre o tema. A Mika, como prefere ser chamada, é neozelandesa e leciona inglês para estrangeiros online, enquanto curte o sul do Brasil – eita mundão pequeno! – , país onde reside desde 2015 ao lado da sua outra metade <3. Além do Brasil, a Mikayla já caminhou pela Coréia do Sul e Cambódia. Com a bagagem da terra natal, a Mika separou algumas dicas para quem está produzindo um currículo no formato neozelandês. Confira:

Quais os erros mais comuns que estrangeiros cometem ao escrever um currículo em inglês?

Estrangeiros e, nesse caso, falantes de língua portuguesa cometem alguns erros de tradução de alguns termos em inglês. A questão é que quando o português é traduzido para o inglês (por exemplo, no Google Tradutor) o resultado pode ser uma palavra antiquada ou incomum então, uma boa ideia é verificar com um falante nativo se possível.

 

Qual a dica básica para construir um bom currículo?

Ele deve ser simples e objetivo. O tamanho precisar ser uma ou duas páginas. Faça uma formatação simples, porque um monte de texto agrupado pode ser chato para ler. Realce as palavras em negrito, inclua bordas simples e sublinhados.

O CV é simplesmente a chave para uma entrevista mais tarde. Liste palavras-chave e habilidades e os pontos principais da sua experiência profissional. Na entrevista você poderá dar mais detalhes.

Além disso, você pode incluir uma curta introdução, mas mantenha o texto claro e direto. Qual a sua posição? O que você está procurando? Quais suas metas profissionais?

Não é necessário incluir sua idade, estado civil ou nacionalidade, mas inclua o tipo de visto.

Ponto importante:

Se seu emprego anterior foi no seu país de origem, descreva um pouco o segmento da empresa, caso não exista ou não seja conhecido na Nova Zelândia.

Liste suas qualificações corretamente. Se você estudou pós-graduação, para qual nível? Pós-graduação inclui diplomas, mestrados etc. Seja especifico.

Produza currículos e cartas de apresentação com as habilidades e palavras-chave requisitadas no anúncio.

Posso enviar um currículo padrão para as vagas que encontrar?

Não. Altere seu CV para cada aplicação. Um currículo genérico para todas as posições vai mostrar que você não leu o anúncio. Mostre suas habilidades especificamente para cada vaga. Isso só leva alguns minutinhos para adaptar.

Empregadores querem saber se você vai trabalhar bem na equipe deles também, então experiência na área não é tudo. Se você tem habilidades ou experiências em outras áreas que mostrem que você trabalha bem em time, faz desenvolvimento pessoal, é criativo; inclua brevemente.

Quando solicitado, importante deixar duas referências de outros empregadores ou de pessoas que possam falar como você é profissionalmente – pode incluir ou escrever simplesmente “references available on request”.

Você leva um susto quando pedem para você enviar uma carta de apresentação?

A carta de apresentação (cover letter) também assusta algumas pessoas. O que você sugere para essa etapa? O que deve ser evitado?

Na Nova Zelândia é comum enviar uma carta de apresentação. É por meio dela que você pode mostrar sua personalidade, sua motivação e entusiasmo pela vaga. Seja persuasivo e tenha confiança, mas formalmente. Pode explicar mais suas habilidades e experiências e também sua situação na Nova Zelândia.

Escreva meia página a uma página completa. Utilize as palavras-chaves do anúncio de novo e foque mais nelas.

E para quem quer melhorar o inglês, você tem algumas dicas?

É como ir a academia, quanto mais você vai, melhor. Mas não precisa fazer os mesmo exercícios todos os dias. Pegue o inglês de muitas fontes: livros, música, TV. Você também pode conversar em grupos ou com as pessoas nas lojas, troque a configuração do seu telefone para inglês, procure receitas em inglês, namorar um nativo em inglês (haha!) e afiliar-se a grupos e comunidades onde você mora.

Hoje em dia é a melhor época para aprender outra língua. Você tem acesso a todos os recursos na internet e pode encontrar inglês em muitos lugares.

Algumas pessoas adoram o desafio de aprender um novo idioma, porém outras não se sentem segurar para falar caso esteja errado. Nos meus primeiros oito meses no Brasil pensei que todos estavam pensando que eu era burra e preguiçosa, o que não é verdade, eu estudei em casa sozinha. Finalmente deixei minha vergonha e comecei a falar português.

Sim, cerveja me ajudou muitas vezes!

Fazer cursos é bom, com certeza, e aprender com outras pessoas também. Mas, se você não pode fazer um curso, pode estudar em casa com sucesso. Compre um livro, pratique com aplicativos, ouça música, encontre grupos de inglês na sua área.

Se seu namorado fala inglês, falem um dia em português e ou outro dia em inglês.

Seu progresso provavelmente não vai ser constante. Alguns meses você avança e em outros parece que não mudou nada. Fique tranquilo, sua mente está se adaptando. Não desista.

via GIPHY

Quer conhecer o trabalho da Mikayla?
Mande um email para ela: mikayla.dyer@gmail.com

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.