formação acadêmica
Carreira

Reconhecer diploma ou partir para plano B?

Está planejando investir na sua carreira quando chegar na Nova Zelândia? Vai precisar reconhecer diploma? Que tal realizar algumas especializações ou um curso de curta duração? Se você está dando os primeiros passos em busca de informação como essa, continue lendo esse post que eu tenho algumas dicas para ajudar você nessa jornada.

Para começar…

Antes de tudo, faça uma busca pela sua área profissional e o posicionamento dela no mercado de trabalho neozelandês. Anteriormente fiz um post falando de uma ferramenta do governo local que avalia as profissões em demanda no país e um passo a passo para utilizá-la.

Importante se planejar financeiramente até encontrar um emprego no novo país.
Importante se planejar financeiramente até encontrar um emprego no novo país.

Outra forma de começar essa pesquisa é buscar sua área – ou funções semelhantes – em sites de emprego. Trade Me, Seek e LinkedIn são os principais websites de vagas utilizados pelos neozelandeses. Você pode, ainda, fazer a busca por região, faixa salarial e área de atuação. Isso vai dar a você uma ideia do mercado e ajudá-lo (a) a ajustar seu planejamento até encontrar seu espaço profissional no país.

Importante ressaltar que mesmo para empregos na área de construção,atendimento ao público ou em fazendas é necessário sim ter inglês básico a intermediário e visto apropriado para a função. Sem gatilhos, sem jeitinhos. Venha com planejamento que as coisas têm mais prababilidade de darem certo.

Próximo passo

Feito isso, agora é o momento de verificar se você precisa de um registro profissional ou mesmo equivalência curricular. O órgão para pesquisar sobre isso é o NZQA – New Zealand Qualification Authority – uma espécie de MEC neozelandês que regula universidades públicas e privadas, além de instituições

Avalie a necessidade de reconhecer o seu diploma ou retomar os estudos.

de idiomas e cursos técnicos. É por meio dele que você pode descobrir se aquela escola de inglês é bem conceituada ou não, por exemplo. Por meio do NZQA você pode ainda enviar uma reclamação ou fazer uma denúncia.

Busque fontes seguras, converse com pessoas da sua área, visite website das principais universidades para conhecer os cursos oferecidos. Se depois disso você perceber que precisa que o governo neozelandês reconheça o curso realizado fora do país será necessário traduzir diplomas e grade curricular. Para isso, procure um tradutor juramentado. Valores para traduções variam de empresa para empresa e da quantidade de documentos.

Plano B 

Algumas pessoas acabam optando por não passar pelo processo de reconhecimento de diploma e partir para uma nova especialização. Se esse for seu caso, faça as contas e inclua custos extras no orçamento, além do valor do visto adequado, claro. Uma outra opção é começar uma nova graduação, curso técnico ou especialização – mestrado, doutorado. Atente para o custo que varia dependendo do tipo de estudo e costuma ter valor alto,  já que estrangeiros não recebem os mesmos privilégios de quem é cidadão neozelandês.

Existem bolsas de estudos para estrangeiros, basta se informar na universidade desejada. Os pré-requisitos e carga horária são diferentes para cada universidade. Nessa etapa é bem provável que seja exigido, além de habilidades curriculares, inglês nível intermediário a avançado e testes de proficiência – IELTS é o mais comum, mas existem outros que podem ser solicitados pela instituição de ensino.

Dica: Link de consulta para bolsas de estudos no país: Study in New Zealand

 

Confira a seguir um breve checklist com algumas das informações destacadas nesse post.

Infográfico resumido com informações sobre carreira e estudos. (Créditos: Além do Mar)
Comentários

Siga o Além do Mar

Comunicóloga freelancer e expatriada. Curiosa por novas histórias e idealizadora do Além do Mar. Escreve com o propósito de solucionar problemas de uma maneira mais leve - ou para organizar o caos mental vez ou outra. =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.